Blog do MAZEzito





LOG:PioIX

“INESQUECÍVEL!”

Foi uma longa e dura viagem, começamos em Pocinho e fizemos o resto da linha até à estação de Fregeneda – um verdadeiro teste aos nossos limites. Leiam mais pormenores da nossa viagem no registo do Mazezito (em baixo) que foi, provavelmente, o grande motivador da escolha deste percurso para esta actividade e que nos acompanhou para fazer esta cache que já ansiava há muito tempo. Obrigada Mazé sem ti não teríamos conseguido fazer esta cache.

Orgulhamo-nos de ter conseguido fazer esta cache que está num sítio lindíssimo,
num percurso sempre a par da natureza,
cheio de adrenalina;
um desafio único!

Orgulhamo-nos de podermos chegar ao fim deste desafio e dizer:
– Sobrevivemos e conseguimos!

Trouxemos um TB, mas desta vez é a outra equipa (Egas Moniz) que vai registá-lo, e vimos o TB que o Mazé lá deixou com o nome do nosso agrupamento – 558 Pedome!

LOG: MAZE

Ao começar a escrever isto não sabia mesmo por onde começar, já há muito era esta a minha ambição…
E aconteceu assim de repente, pois não estava nos meus planos faze-la assim tão cedo, estava programada para ser feita muito mais tarde…
E fiz-lha com os pioneiros, que me levaram junto com eles para o seu acampamento de sobrevivência….
Foram dois dias desde Pocinho até a Vila de Fregeneda cerca de 50 Km nos pés, comida que Bear Grylls do programa do discovery se dava ao luxo de fazer igual, dormida agradável ao som das corujas na estação de Barca de Alba, de manhã era o início da grande rota, infelizmente dois não puderam continuar a partir daqui, os que disseram sim chegaram todos ao fim e tiveram sem dúvida a oportunidade de realizar uma proeza que ficará para sempre nas suas memórias.
Pontes feitas com toda a segurança possível com auxílio de cordas. De modo geral, estávamos bem preparados com 300 metros de corda, arneses para todos, o maior risco era mesmo a primeira pessoa a levar a corda e a que a iria retirar, que ficou ao nosso encargo, os mais crescidos.
Eu lá fui tirando os pontos das caches, mas na segunda estive quase a desistir, visto que não podia perder muito tempo no local já que o verdadeiro objectivo não era a cache. E tudo deveu-se a uma pequena confusão no local e à hint que eu tinha, mas depois lá vi o trilho e o GPS já com melhor cobertura deu o ponto exacto do local. A partir daqui, sem dúvida, comove qualquer um, era mesmo de ficar sem palavras com uma média de 20 min que se perdia para cada ponte para atar e desenroscar cordas, planear a segurança e por fim atravessar…
Por fim, chegamos ao local da cache que fica à esquerda ali naquele altinho e foi aí que tirei as minhas melhores fotografias…
Eu com a euforia de ter nas mãos umas das melhores caches de Portugal, deixei um TB meu ao qual dei o nome do nosso agrupamento para viajar pelo mundo e quem sabe um dia voltar à sua casa para ficar em exposição na nossa sede.
Mais duas pontes fantásticas, o túnel redondo dos morcegos, altamente a lomba do cocó dos morcegos e mais a meia hora para o túnel final, e assim chegamos todos à famosa estação de Fregeneda…
Como tínhamos a carrinha na vila, apanhámos mais 4 Km nos pés por paisagens fantásticas pelo meio dos campos dos agricultores e foi estes últimos quilómetros que apanhamos pela primeira vez o sol a espreitar pelas nuvens brancas já que fizemos quase toda a rota desde Pocinho com alguma chuva e o céu sempre enublado…

Eu desde já dou os meus parabéns aos pioneiros e é mesmo para dizer:
“Missão comprida”…

Acampamento de Sobrevivência 558-Pedome (La Ruta de Los Túneles)

De 2 e 3 de Abril 2011 numa natureza extremamente incrível…
Pela linha abandonada do Douro…
De Pocinho (Portugal) até La Fregeneda (Espanha)
45 quilómetros de linha, 22 túneis e 16 pontes

Leave a Reply

Este Blog é da autoria do MAZE. Tema criado de raiz por MAZE.
Copyright © Blog do MAZEzito. All rights reserved.