Blog do MAZEzito

 

 
Fiz este caminho na última semana de Junho de 2012 foram cinco dias de extrema alegria que não sei como explicar, passei por belíssimas vilas, grandes montes e campos verdejantes, caminhei junto a costa da morte fiz amizades que ficarão sem dúvida para sempre no meu coração…
De Santiago a Muxia e por fim ao fim do mundo como é conhecido Finisterra consegui juntar tudo em 8 minutos num filme de mazezito.com
Foi um grande Caminho que já mais esquecerei…

 

Este vídeo serve para pensar – pensar que os meus caminhos são feitos por trilhos de terra, pelo meio dos campos, por caminhos de pedras soltas e pontes feitas de troncos e não pela N550, que o meu ar condicionado é o azul dos céus, a água dos riachos e a chuva que cai quando menos se espera, que os meus hotéis são os refuxios de peregrinos ou, quando não os há, qualquer palheiro ou telheiro onde estender o saco-cama, que duche ou jacuzzi não me fazem qualquer falta enquanto houver chuva e ribeiros, que os meus restaurantes são bocadillos de bom pão galego com um qualquer embutido comprado numa lojeca de aldeia, que a minha companhia no caminho, além de outros peregrinos de todas as nacionalidades e credos, com quem nunca se discute mas tudo se partilha, até a vida, são os pássaros, os cães que caminham alegremente a meu lado, que chego a Muxía e se não abalo a pedra, é a pedra que me abala, que ao chegar a Fisterra e ao olhar o mar sinto que nada termina ali mas tudo começa de novo. Moitas grazas por compartirlo, Compañeiro Maze Zito! Ultreia!

Luiz Gaspar in Facebook

 

 

Santiago-Muxia-Finisterra

June 22nd, 2012

 

 

Vai ser mais caminho, mais uma semana, mais uma alegria, Santiago-Muxia-Finisterra 110 km

 

O Acampamento do 65º aniversário do Agrupamento 558 de Pedome com o lema “Encontro de Povos” teve lugar nos dias 24 e 25 de março, na quinta da Venda Nova, nesta freguesia.
Logo pela manhazinha do dia 24 de março, os escuteiros vindos s núcleos de Famalicão, Guimarães e Póvoa de Lanhoso, foram chegando ao espaço da (re)união ainda ensonados, mas com aquele brilho nos olhos de quem espera viver grandes aventuras.
A manhã foi preenchida com os reencontros de sempre e a montagem dos respetivos campos. A azáfama era grande e a descoberta de novas situações era constante. A entreajuda era evidente no socorro daqueles que se esqueceram de alguma coisa.
Pelas 13.30h foi a concentração na arena para dar início à cerimónia oficial de abertura do acampamento. Esta cerimónia contou com a presença do Assistente do Agrupamento P.e Vitor Rodrigo, do chefe de Agrupamento Hermenegildo Almeida e do Chefe de Núcleo Valdemar Magalhães, que deram as boas vindas e os parabéns aos 1080 escuteiros de 40 agrupamentos e com votos de boa-caça foram exortados a que jogassem o jogo e que se divertissem.
Depois de hasteada a bandeira nacional e cantado o hino partiram a toda a pressa para as atividades, munidos dos respetivos mapas e guiões, os lobitos para o mundo dos Índios, os exploradores para a Idade dos Impérios, os Pioneiros na preparação dos habitantes de Podamim para o cerco de Olisipo e os caminheiros no contato com os idosos da comunidade reconstruindo as suas histórias de vida.
Pelas 21 horas deu-se início ao Fogo de Conselho. Os escuteiros, pais e amigos encheram completam ente o recinto que animados pelo dirigente Luís Monteiro representaram, cantaram, dançaram e mostraram as suas habilidades, numa sessão repleta de luz e cor.
Pelas 23 horas iniciamos a festa escutista com a atuação da banda Rosa Mate que tem na sua origem elementos oriundos do C.N.E. e da A.G.P e que fizeram questão de estar presentes. Esta festa terminou com uma sessão de fogo-de-artifício.
Enquanto os mais novos se preparavam para o recolher os caminheiros dirigiam-se até às instalações da Escola de Pedome onde com a orientação do P.e Leonel Claro, dos Combonianos, debateram questões relacionadas com a opção vocacional.
No dia 25, após a alvorada, todos procederam à arrumação dos campos, sempre com o sentido de deixar o espaço melhor do que o encontraram.
Pelas 10.30 deu-se início ao desfile em direção à igreja paroquial para a celebração da eucaristia, o espaço fez-se pequeno não conseguindo albergar todos os escuteiros.
Regressados ao campo foi tempo de dar início à cerimónia de encerramento. O Chefe Nacional Carlos Alberto deu os parabéns ao agrupamento e a todos os escuteiros por esta efeméride e pela forma como tudo decorreu. Em representação da Câmara Municipal de Vila nova de Famalicão usou da palavra o sr. Eng. Fernando Pereira dando um incentivo a todos os escuteiros realçando a importância que o C.N.E. tem para a sociedade na sua ação de formar e educar jovens responsáveis. Depois foi o momento da entrega das lembranças, dos prémios, dos certificados e de despedidas com um até breve.

(Clique na imagem para ampliar)

 

Facebook 558-Pedome

http://www.facebook.com/558pedome

 

Senhor dos Santos Passos
Que se venera na capela de Santa Tecla, na freguesia de Santa Maria de Oliveira (Famalicão), cuja procissão de Passos se realiza de dois em dois anos, no 3º Domingo da Quaresma e tem a sua festa anual no dia do Corpo de Deus na sua capelinha de Santa Tecla.

 

 

 

No dia 27 de Novembro de 2011 veio a este sitio e subiu estas pedras o grandioso Mazezito

 

“No dia 6 de Dezembro de 1832 Veio a este sítio e subiu a estas pedras sua majestade o Senhor D. Miguel I” é isto que se pode ver bem gravado no alto do penedo das letras em Braga na freguesia de Oliveira São Pedro, diz-se que o local inspirou ao longo de tempos lendas e narrativas de amores proibidos e que por ali se refugiava o Rei D. Miguel para se esquecer dos conflitos com a sua mãe. Porém, o povo sempre afirmou que o rei vinha ao Penedo das letras para cortejar uma moça da terra.
Pelo trilho que vem desde a freguesia de Guisande pode-se também encontrar num local recôndito uma magnífica estátua do Sagrado Coração de Jesus abraçada pela natureza que há muito lhe conquistou…

 

 

O caminho de Santiago é uma das rotas mais concorridas do mundo.
Neste tópico tem dois vídeos de pequenos excertos visualizados no canal de história do Caminho de Santiago

 

 

Porque é que o símbolo do caminho é uma concha?
O que se tem de fazer para ser o rei da peregrinação?
Qual é o objetivo do bota-fumeiro?
Porque ir até Finisterra?
Porque é que em muitas igrejas ao longo do caminho de Santiago se podem ver gárgulas e animais macabros?

 

 

Um dos guias mais surpreendente do caminho de Santiago é o Códice Calixtino, uma obra do século XII que mostra que não era nada fácil as peregrinações medievais.

 

 

José da Silva Pereira, nasceu em Pedome, Vila Nova de Famalicão, a 28 de Janeiro de 1951.
Cedo demonstrou gosto pela escrita, com apenas 8 anos já as suas redações eram assunto de conversa entre os professores.
Aos 12 anos começou a trabalhar, no entanto, no ultramar em pleno serviço Militar desempenhou o papel de escriturário. Aí terminou o 5º ano de escolaridade e destacou-se em alguns concursos de poesia.
Desde então tem vindo a marcar presença com a sua poesia nos mais diversos momentos e situações.

Prefácio

A vida é uma viagem no tempo. Na vida não é importante o número de anos que vivemos. O importante é a qualidade e a intensidade com que vivemos esses anos.
(…)
O livro que o leitor tem em mãos não é um livro qualquer, é um desejo antigo do autor é um livro que expõe “retalhos” de uma vida. São reflexões e sentimentos que brotam do coração, do mais íntimo do seu ser.
Concluindo, apraz-nos dizer que José Pereira não se deixou enredar por temas da moda, nem sequer pela linguagem da moda. Pelo contrário, expôs “retalhos” da sua vida com alma, emoção e simplicidade.
(Padre Vítor Pinheiro)

Alguns poemas do livro:

Intimidade

Maria é uma flor das mais belas!
Que a natureza criou,
Na selva vive discreta.
Do amor da seiva se alimentou.
Flor…Onde a abelha à sua volta,
Vai zumbindo e voando.
Nas pétalas do seu corpo…
O ferroto vai cravando.
Enche-a de carícias…
Rouba-lhe o néctar…
Vai cobrindo-a de beijos.
Suga-a para se saciar…
A flor fica esgotada…
Um pouco esmorecida.
Sozinha no seu botão
A flor fica perdida.

Caminhante

Mais um dia mais um ano
Voltamo-nos a encontrar.
Alegra-te, amigo tem esperança
Diverte-te anda cantar…

Lembra a tua juventude
Que tão depressa passou!
Essa linda primavera…
Que há muito para trás ficou.

Ser velhinho não é triste
Triste é a solidão…
Quando te sentires sozinho
Chama Jesus da comunhão…

Será teu companheiro…
Não te deixa abandonado.
Se te acompanha na vida
Podes dormir descansado…

Ter um amigo assim dá alegria
O coração fica contente
Porque também Ele é teu irmão.
Se tu és pobre ou doente…
Por isso deste ambiente fraterno
Desfruta, canta e ri.
Porque Jesus teu amigo não o Vês,
Mas ele anda por aqui…

Gargalhada

A política que nós temos á á á.
Que até dá pra rir…
Todos querem arranjar tacho,
De lá ninguém quer sair.

Os políticos são muito pobres,
Só querem servir a nação.
Com um ordenado tão pequeno,
Há quem não ganhe para comprar um calção.

Os políticos pensam ganhar pouco dinheiro
Aflitos querem mais…
Coitados alguns têm pouca roupa
E até aparece em cuecas nos jornais.

Os políticos a falar de contas
Nunca se podem enganar.
Se as não souber de cabeça
Usem a máquina de calcular.

Os políticos comem e falam muito,
É o que toda a gente diz…
Passeiam pra aqui e pra ali
É assim que se endireita o país.
Os políticos só pensam neles,
Não querem saber do Zé…
Só pensam no fim do mês,
Pra receber o pré.

 

Post dedicado à 1ª Companhia de Pedome…

“Passei uma vida felicíssima e desejo que cada um de vós seja igualmente feliz.”
Baden Powell

Miudo escuteiro feliz.

 

Caros escuteiros:

Se já vistes a peça Peter Pan, haveis de recordar-vos de como o chefe dos piratas estava sempre a fazer o seu discurso de despedida, porque receava que, quando lhe chegasse a hora de morrer, talvez não tivesse tempo para o fazer. Acontece-me coisa muito parecida e por isso, embora não esteja precisamente a morrer, morrerei qualquer dia e quero mandar-vos uma palavra de despedida.

Lembrai-vos de que é a última palavra que vos dirijo, por isso meditai-a.

Passei uma vida felicíssima e desejo que cada um de vós seja igualmente feliz.

Crei que Deus nos colocou neste mundo encantador para sermos felizes e apreciarmos a vida. A felicidade não vem da riqueza, nem simplesmente do êxito de uma carreira, nem dos prazeres. Um passo para a felicidade é serdes saudáveis e fortes enquanto sois rapazes, para poderdes ser úteis e gozar a vida quando fordes homens.

O estudo da natureza mostrar-vos-à as coisas belas e maravilhosas de que Deus encheu o mundo para vosso deleite. Contentai-vos com o que tendes e tirai dele o maior proveito que puderdes. Vede sempre o lado melhor das coisas e não o pior.

Mas o melhor meio para alcançar a felicidade é contribuir para a felicidade dos outros. Procurai deixar o mundo um pouco melhor de que o encontrastes e quando vos chegar a vez de morrer, podeis morrer felizes sentindo que ao menos não desperdiçastes o tempo e fizestes todo o possível por praticar o bem.

Estai preparados desta maneira para viver e morrer felizes – apegai-vos sempre à vossa promessa escutista – mesmo depois de já não serdes rapazes e Deus vos ajude a proceder assim.

O Vosso Amigo

 

 

E foi assim a abertura do ano escutista da região de Braga foram muitas tampinhas e muitos abraços…

 


Este Blog é da autoria do MAZE. Tema criado de raiz por MAZE.
Copyright © Blog do MAZEzito. All rights reserved.